BMW INICIA VENDA DO 430I GRAN COUPÉ NO BRASIL POR R$ 276.950


Desembarca no Brasil o novo BMW 430i Gran Coupé, modelo com desenho sedã-cupê que integra a família Série 4. Substituto do 428i Gran Coupé, a novidade chega ao país na versão 430i Gran Coupé M Sport — mais potente que o anterior e com preço de R$ 276.950.

Vendido na versão M Sport, o novo 430i Gran Coupé tem como principal novidade o motor 2.0 twin turbo com 252 cv de potência (7 cv a mais que o 428i anterior) e 35,7 mkgf de torque. Com transmissão automática de oito velocidades e tração traseira, o carro é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos. A suspensão é da grife M Sport.

Em relação ao Série 3, o Série 4 tem como característica o visual mais esportivo. Isso é confirmado pelo pacote M com para-choques com aberturas de ar mais generosas e rodas de 19 polegadas, bem como pela ausência das molduras nas portas como nos modelos cupê e conversível. Por dentro, o veículo tem volante M Sport, além de revestimento de couro nas cores preto, branco, bege, marrom, vermelho ou preto com costura azul.

Entre os equipamentos, destaque para os seis airbags, controles de estabilidade e tração, pneus Run Flat, faróis de xenônio com assistente de luz alta, câmera de ré, ar-condicionado automático digital e sistema de abertura das portas e ignição sem chave. Há ainda central multimídia com tela de 8,8 polegadas, navegador GPS, sistema de som Harman Kardon, leitor de DVD e disco de 20 GB. Sistema ConnectedDrive, assistente de emergência e de concierge completam o pacote.
A marca também divulga o preço do conversível 430i Cabrio Sport Limited Edition: com teto rígido retrátil e mesmo motor, ele é comercializado por R$ 239.950.
Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br



NOVO MERCEDES-AMG GT ROADSTER É APRESENTADO


A Mercedes-AMG apresenta o novo membro da família do seu superesportivo GT (composta agora pelo GT, GT S, GT R, GT Roadster e GT C Roadster). A versão sem teto do modelo será um dos destaques do Salão de Paris e chega em duas versões: a GT Roadster de 483 cv e a GT C Roadster com 565 cv de potência.

O visual do Mercedes-AMG GT Roadster fez bem ao modelo, originalmente cupê. Suas linhas musculosas foram evidenciadas, além de ter recebido a mesma grade com hastes verticais do endiabrado GT R e um para-choque com tomadas de ar mais pronunciadas. A traseira também tem para-choques com novo desenho, com saídas de ar nas extremidades, além do aerofólio com acionamento elétrico integrado ao porta-malas.



Como em todo roadster, a carroceria foi reforçada para ter maior rigidez torcional, além de o porta-malas contar com um novo material leve que mescla plástico e fibra de carbono. O GT Roadster pesa 1.595 kg e o GT C Roadster 1.660 kg. Sai de cena o teto rígido e entra uma capota de tecido de peso reduzido, que abre e fecha em apenas 11 segundos em velocidades de até 50 km/h.
A capota pode ser preta, vermelha ou bege, que pode ser combinada com 11 opções de cores para a carroceria e 10 para o interior do carro. As rodas de liga leve são de 19 na dianteira e 20 polegadas na traseira.

A potência do motor varia entre os dois carros. O Mercedes-AMG GT Roadster traz um V8 4.0 biturbo de 483 cv e 64,2 mkgf de torque, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,0 segundos e atingir a velocidade máxima de 302 km/h.
A versão mais potente GT C Roadster tem o mesmo motor, mas recalibrado para oferecer 565 cv e 69,3 mkgf de torque (48 cv e 3 mkgf a mais que o cupê GT S). Na prova de aceleração, o GT C Roadster cumpre 3,7 segundos e atinge a máxima de 316 km/h. Ambos são equipados com uma transmissão automatiza de dupla embreagem de sete velocidades e tração traseira.

Entre as novidades tecnológicas, o GT Roadster adotou algumas inovações da configuração mais potente GT R. O roadster conta com sistema de esterçamento das rodas traseiras, bloqueio eletrônico do diferencial e sistema ativo de aerodinâmica — com aletas verticais na parte inferior dianteira que se abrem ou fecham automaticamente de acordo com a necessidade de arrefecimento.
A transmissão possui três modos: Comfort, Sport e Sport Plus, com o GT C tendo exclusivamente o modo Race — que proporciona trocas de marchas mais rápidas e um ronco mais encorpado para o V8.


Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br

BENTLEY APRESENTA O FLYING SPUR W12 S, SEDÃ MAIS RÁPIDO DE SUA HISTÓRIA


Uma boa parcela dos compradores de Bentley escolhem os carros da marca pelo luxo, conforto e status que eles representam. Mas há uma outra parcela que, além de tudo isso, também espera que estes carros sejam velozes. Foi para eles que a fabricante britânica criou o Flying Spur W12 S, por enquanto o sedã mais rápido da história da marca. 


Peça chave da versão, o motor W12 6.0 twin turbo foi atualizado para chegar aos 635 cv (10 cv extras) enquanto o torque, já colossal, foi de 81,6 mkgf para 83,6 mkgf, disponíveis a apenas 2.000 rpm. Sob o controle da transmissão automática de oito marchas e da tração integral (que distribui o torque entre os eixos na ordem 40/60), esta força garante velocidade máxima de 325 km/h - o mesmo que uma Ferrari 488 GTB. O zero a 100 km/h se dá em 4,2 s. 


Para dar conta do fôlego extra, este Flying Spur tem suspensão recalibrada e programação própria para o controle de estabilidade. Freios carbocerâmicos, dignos de superesportivos, são opcionais. 


Quem compra um carro como o W12 S gosta de exclusividade. Por isso, esta versão também uma série de detalhes com acabamento escuro, como a grade dianteira, capa dos retrovisores e rodas aro 21" com pintura preta. Por dentro, o quadro de instrumentos tem grafismos e molduras próprias, além de apliques de fibra de carbono e logotipos W12 S nos encostos de cabeça dos bancos.


Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br

SHELBY GTE: A PORTA DE ENTRADA PARA OS MUSTANG PREPARADOS


A Shelby é, inegavelmente, uma das preparadoras de veículos mais importantes da história do automobilismo. No entanto, ter um Mustang customizado pela empresa nunca foi barato nem para os americanos e seus dólares abundantes.
Pensando nisso, a marca apresentou o Shelby GTE, um Mustang preparado e com foco em baixo custo. O GTE poderá ser encomendado em versão cupê ou conversível e partirá de US$ 17.990 (ou R$ 58.400 em conversão direta), sem incluir o carro que servirá como base para as modificações.

Debaixo do capô, o GTE (que, apesar do nome, não é um híbrido ou elétrico) pode levar o 2.3 turbo EcoBoost que passa a entregar 345 cv e 53,8 mkgf, além do V8 5.0 com 462 cv e 58,5 mkgf. Para o 5.0, a Shelby oferece supercharger e uma reprogramação para elevar a potência para mais de 760 cv. Do escapamento sai um ronco encorpado, graças a uma reprogramação da Ford Performance.

O kit standard (tabelado em US$ 17.999) já inclui um pacote de alta performance para a suspensão, freios  e pneus e toda a parte de visual externo e interno. Se o cliente preferir, podem ser adicionados itens como novos sistemas de refrigeração para o motor, transmissão, freios e diferencial, mudanças nas relações de marcha, componentes da carroceria de fibra de carbono e interior preparado para as pistas.
Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br

NOVO TESLA MODEL S PROMETE SER O CARRO MAIS RÁPIDO DO MUNDO



Pode soar como o final dos tempos, mas o novo Tesla Model S P100D está em vias de se tornar o carro de produção mais rápido do mundo na atualidade. Esta que será a nova versão do sedã elétrico tem um novo pacote de baterias mais potente, de 100kWh. Com isso, no modo Ludricrous – que permite que o motor use toda sua potência – há energia suficiente para acelerar de 0 a 100 km/h em 2,5 segundos.


Para efeito de comparação, é o mesmo desempenho de uma Ferrari La Ferrari ou um McLaren P1 e ainda supera o Porsche 918 Spider por 0,2 segundos. Mas, em vez de se tratar de um superesportivo caríssimo e exclusivo, estamos falando de um sedã elétrico com mais de 2.200 kg com espaço e conforto para sua família e que custa 134.500 dolares, ou R$ 433.500 ao câmbio atual. A Tesla não divulga a potência, mas supera os 672 cv do P100D, antigo topo de linha da marca.


No mundo real, a vantagem da bateria de 100 kWh está na autonomia de 613 km por carga. É o primeiro carro 100% elétrico que ultrapassa os 600 km de autonomia – o P90D consegue 528 km. No caso do crossover Model X P100D, o zero a 100km/h é cumprido em 2,9 segundos e tem autonomia de 542 km.
Quem já tem um Tesla da versão P90D pode atualizar seu pacote de baterias para o de 100kWh por 20 mil dólares (R$ 64.500). Para quem ainda não recebeu o carro, o custo é de 10 mil dolares (R$ 32.250).
Conheça melhor a GIBA escapes acessando http://www.giba.com.br