Única Ferrari FXX que pode rodar nas ruas está à venda



Baseada na lendária Ferrari Enzo, a FXX teve apenas 38 unidades construídas entre 2005 e 2008 e se tornou uma lenda. O hiperesportivo foi homologado apenas para as pistas, com exceção de uma unidade: essa FXX Evoluzione 2008 à venda na Inglaterra.

Na primeira fase, a Ferrari FXX foi produzida de 2005 a 2006 com motor V12 6,3 litros naturalmente aspirado de 811 cv. O conjunto é associado a uma transmissão automática de seis velocidades capaz de efetuar trocas em 100 milissegundos.


Já a segunda leva, feita de 2007 a 2008, foi chamada de FXX Evoluzione, e ganhou upgrades no motor para atingir 872 cv a 9.500 rpm. O kit Evoluzione incluía também novos ajustes na caixa de câmbio, suspensão e na aerodinâmica. Com essas especificações, o hiperesportivo acelerava de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 segundos (2,8 s após a conversão para rodar nas ruas) e atingia a velocidade máxima de 397 km/h.



Ao contrário do modelo padrão, essa FXX Evoluzione à venda pode ser dirigida tranquilamente pelas ruas, já que foi convertida pela Ferrari para uso próprio. Entre as alterações promovidas, há novas lanternas, luzes de direção, pneus de rua, câmera de ré, suspensão mais macia e com maior altura em relação ao solo.


Segundo a loja, esse exemplar tem apenas 1.300 milhas registradas no hodômetro e acompanha todas as peças (que foram retiradas na conversão) para voltar à originalidade quando o proprietário quiser. O preço não foi revelado, mas facilmente passa dos sete dígitos em libras esterlinas.

Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br


Mercedes-AMG E 63 S Estate agora é a perua mais rápida do mundo


O título de perua mais rápida do mundo (em aceleração), antes pertencente à Audi RS6 Avant, acaba de trocar de mãos. Quem assume o posto é a Mercedes-AMG E 63 S Estate, a terceira versão apresentada da perua derivada da gama Classe E. O modelo será apresentado ao público no Salão de Genebra, em março.


Segundo a Mercedes, a nova station vai de 0 a 100 km/h em apenas 3,5 segundos na versão E 63 S Estate e 3,6 segundos na E 63 Estate. O modelo “básico” tem velocidade máxima limitada eletronicamente de 250 km/h, enquanto que a S vai a 290 km/h, dependendo do mercado.
Como referência, a lendária Audi RS6 Avant (560 cv) acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos, com a versão Performance (605 cv) cumprindo a mesma prova em 3,7 segundos.

Ambas são equipadas com um motor V8 4,0 litros biturbo, com calibragens diferentes: a E 63 Estate gera 571 cv e 76,4 mkgf de torque, enquanto a E 63 S Estate, desenvolve 612 cv e 86,7 mkgf. As duas têm transmissão automatizada de 9 marchas e tração integral — com direito a modo drift na versão S. A perua tem diferencial de deslizamento limitado mecânico (eletrônico no modelo S).

Em relação à Mercedes-AMG E 43 Estate, equipada com um V6 3.0 biturbo de 333 cv, a versão mais potente E 63 Estate tem visual um pouco mais agressivo, com para-choque dianteiro com inserções em preto brilhante, nova grade frontal e rodas de 20 polegadas pintadas de preto fosco. A traseira tem um novo extrator de ar e escapamentos com desenho mais quadrado.



A station wagon pode ser usada para ir ao supermercado ou acelerar forte num trackday, pois conta com seletor de modos de condução que alteram as respostas do motor, transmissão, suspensão, direção e ESP. São quatro níveis: Comfort, Sport, Sport Plus e Individual, ou Race — exclusivo da versão S. De série, ha suspensão pneumática com controle eletrônico e três níveis de ajustes, além de freios com discos de carbono-cerâmico como opção.


No interior, há basicamente o mesmo design das versões convencionais – inclusive a enorme tela de 12,3 polegadas, mas com inserções de fibra de carbono no painel e no console, bem como os bancos com generosas abas laterais e revestimento preto de couro nappa.


Além de superar os números da RS 6, a aceleração de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos da Mercedes-AMG E 63 S Estate fica abaixo do tempo de esportivos puro sangue, como o Porsche Carrera GT (3,9s), SLR Mclaren (3,8s), Lamborghini Murciélago (3,8s), Audi R8 GT de primeira geração (3,6s) e até mesmo o atual Mercedes-AMG GT R (3,6 segundos).

Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br



Oficial: novo Ford GT tem 656 cv, 76 mkgf e atinge 347 km/h



Apresentado ao mundo em 2015, a terceira geração do Ford GT causou furor por conta de seu novo visual futurista e a aposentadoria do motor V8, substituído por um V6 Ecoboost. Agora, a marca do oval azul finalmente revela mais detalhes de suas especificações técnicas e dados de performance, como a velocidade máxima de 347 km/h.


Sob o capô, o Ford GT traz um V6 3,5 litros biturbo de 656 cv de potência e 76 mkgf de torque, sendo que 90% da força já está disponível desde 3.500 rpm. A transmissão é automatizada de dupla embreagem e sete marchas. Com o peso a seco de 1.360 kg, a sua relação peso-potência fica apenas em 2,17 kg/cv.
Sua velocidade máxima pode ser comparada a modelos como o novo Lamborghini Aventador S (350 km/h), porém, a Ford não revelou sua aceleração de 0 a 100 km/h — que provavelmente deve ficar abaixo dos 3 segundos, mesmo tendo tração traseira e não integral.


O Ford GT é construído em fibra de carbono e tem carroceria moldada em túnel de vento, além de ter sistemas de dinâmica ativa, como na suspensão e no aerofólio automaticamente ajustável. Os vidros do para-brisa, os laterais e da tampa do motor têm tecnologia Gorila Glass (a mesma aplicada na tela dos smartphones).

Durante o desenvolvimento do modelo, a Ford promoveu testes com o novo GT no na pista de Calabogie Motorsports Park, no Canadá, e o colocou lado a lado com o McLaren 675LT (675 cv) e a Ferrari 458 Speciale (605 cv). Todos testados pelo mesmo piloto, além de os modelos terem suspensões ajustadas e receberem fluídos e pneus novos. Segundo a fabricante, o 675LT fez o tempo de 2min10s, a 458 Speciale 2min12s e o Ford GT 2min09s.

Mustang Shelby Super Snake: o monstro está de volta com 760 cv



O cultuado Mustang Shelby Super Snake retorna numa nova configuração baseada na atual geração do muscle car (antes do facelift, apresentado nessa semana). O cupê desenvolvido pela respeitada Shelby American celebra os 50 anos do primeiro e icônico Super Snake (1967) com a limitada versão 50th Edition Anniversary, de até 760 cv e apenas 500 unidades produzidas.



Sob o capô, o Mustang Shelby Super Snake 50th Edition Anniversary traz o motor V8 5,0 litros atrelado a um compressor mecânico que desenvolve 679 cv na versão padrão, tendo como opção a variante com compressor maior e 760 cv.
Segundo a Shelby, o modelo com o kit opcional vai de 0 a 100 km/h em apenas 3,5 segundos, produzindo uma carga de 1,2 g durante a aceleração e completando o quarto de milha (402 metros) em 10,9 segundos. A transmissão pode ser manual ou automática de seis marchas.


Houve também modificações na suspensão (aperfeiçoada numa parceria entre a Shelby e Ford Performance), que traz novas molas, buchas e uma barra estabilizadora, bem como os novos freios — maiores e com pinças de seis pistões na dianteira e quatro na traseira.


A aparência do cupê faz jus à performance, com capô com novas entradas de ar, grade dianteira com plaqueta especial identificado a versão, rodas de liga-leve forjadas de 20 polegadas (pretas ou polidas), spoilers (dianteiro, lateral e traseiro), difusor de ar traseiro, aerofólio e uma dupla saída de escape de maiores dimensões.
Faz parte do conjunto o logo Shelby entre as lanternas, emblema alusivo à versão nos para-lamas dianteiros e as faixas centrais e laterais.


Por dentro, o Mustang Shelby Super Snake inclui bancos e tapetes com logo Shelby bordados, soleiras de porta, instrumentação sem fio da Autometer e número de série do modelo identificado numa placa de aço. O Super Snake irá custar US$ 69.995 nos EUA, sendo que cada um receberá um número de série e registro oficial da Shelby.

Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br






Demon: um Dodge Challenger ainda mais poderoso que o Hellcat



Com motor V8 6.2 HEMI com compressor mecânico, 717 cv e 88,1 mkgf, o Dodge Challenger SRT Hellcat é daqueles carros que você deixaria passar logo que visse se aproximando no espelho do carro. Mas a Dodge quer levar o Challenger ainda mais além com a nova versão Demon, que tem apresentação marcada para abril. 
Os detalhes da nova versão ainda são escassos, mas tem tudo para ofuscar o Challenger Hellcat. “O Dodge Challenger SRT Demon é concebido, desenhado e projetado para uma subcultura de entusiastas que sabem que um décimo é um carro e meio segundo é sua reputação. ” disse Tim Kuniskis, da FCA.

Embora tenha sido usado em um conceito roadster em 2007, o nome Demon ficou marcado na história por ter sido usado na versão mais esportiva do Dodge Dart Coupé em 1971. Tinha motor V8 5.6 de 275 cv.  

A fabricante criou uma campanha de lançamento que inclui a divulgação de pequenos vídeos semanais, formando uma história que se encerra no dia da apresentação do Demon no Salão de Nova York, em abril.
Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br
Conheça mais sobre a GIBA Escapes: www.giba.com.br